A importância do núcleo de segurança e da normatização de condutas na Medicina

Radiocare Centro avançado de Radioterapia

O conceito de segurança do paciente vem desde os primórdios da Medicina. Primum non nocere ou primum nil nocere é um termo latino da bioética que significa “primeiro, não prejudicar” e faz parte de um princípio de Hipócrates (460-377 a.C), o pai da Medicina.

A Radiocare, Clínica de Radioterapia, conta com dois mecanismos principais envolvidos no controle e avaliação de segurança relacionada ao paciente. São eles o NSP e o Protocolo de Conduta. O objetivo é assegurar o melhor tratamento, com a melhor qualidade técnica possível.

O NSP – Núcleo de segurança do paciente, como diz o próprio nome, promove e apoia ações voltadas à segurança do paciente. Trata-se de um fórum de discussão multidisciplinar, que articula e coordena programas e atividades de gestão de riscos para prevenção de incidentes ou efeitos adversos. Os membros desse núcleo representam diferentes setores do Centro, sendo a equipe composta por médico radio-oncologista, físico médico, enfermeira, dosimetrista, biomédico, tecnólogo, técnico em radiologia, auxiliar administrativo e gerente geral.

O núcleo promove uma cultura voltada para a segurança dos pacientes, por meio do planejamento, desenvolvimento, controle e avaliação de processos assistenciais.

Entre as atribuições do Núcleo de Segurança estão:

I – Estabelecer, avaliar e monitorar barreiras para a prevenção de incidentes;

II – Analisar e avaliar as notificações sobre incidentes;

III – Desenvolver ações para a integração e a articulação multiprofissional no âmbito da instituição

IV – Identificar e avaliar a existência de não conformidades nos procedimentos realizados e na utilização de equipamentos,

V – Promover e acompanhar ações de melhoria de qualidade, alinhadas com a segurança do paciente, especialmente aquelas relacionadas aos processos de cuidado e uso de tecnologias da saúde;

No sentido de normatizar as condutas de tratamento, a Radiocare dispõe de um Protocolo de Condutas em Radioterapia. Nesse manual, periodicamente revisto e atualizado, estão detalhadamente especificadas orientações sobre o tratamento para cada situação clínica.

Em alguns casos, impõe-se uma avaliação e individualização mais cuidadosa. Nessa situação, alguns casos são levados para avaliação na reunião clínica. Trata-se de um encontro semanal e obrigatório para toda a equipe médica da Radiocare. Nessa oportunidade é apresentada a história clínica, o exame físico, o resultado dos exames e as expectativas do paciente em relação ao tratamento. Após ampla discussão, as conclusões são registradas no livro de reuniões clínicas e levadas ao conhecimento do paciente.

No ano de 2016 quase 10% dos diagnósticos foram discutidos em reunião clínica. Essa ação certamente contribuiu para os melhores resultados do Centro, principalmente tendo em vista que maioria desses casos teve decisões extremamente complexas e nem sempre óbvias.

A opinião de uma equipe grande e experiente como a da Radiocare adiciona um grande diferencial para os pacientes, que podem contar, em apenas uma consulta, com a opinião de diversos profissionais, com diferentes experiências. Aliar humanismo e excelência técnica é um dos objetivos primordiais da assistência médica e deve ser o horizonte no qual devemos olhar.

Artigo escrito por Miguel Torres Teixeira Leite, Radio-oncologista da Radiocare

“A opinião contida nesse Blog não necessariamente representa a opinião da Radiocare, não a vincula, e é de responsabilidade pessoal e exclusiva de quem a escreveu.”